Noticias - Descoberta confirma veracidade de história da Bíblia | Comunidade Batista do Balneário Templo da Graça


Compartilhe:
 

      Espiritual   •  Matérias

Descoberta confirma veracidade de história da Bíblia


Descoberta confirma veracidade de história da Bíblia

Reis 18. 1 a 4: “No terceiro ano de Oséias, filho de Elá, rei de Israel, começou a reinar Ezequias, filho de Acaz, rei de Judá. Tinha vinte e cinco anos de idade quando começou a reinar e reinou vinte e nove anos em Jerusalém; sua mãe se chamava Abi e era filha de Zacarias. Fez ele o que era reto perante o SENHOR, segundo tudo o que fizera Davi, seu pai.

 

Removeu os altos, quebrou as colunas e deitou abaixo o poste-ídolo; e fez em pedaços a serpente de bronze que Moisés fizera, porque até àquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso e lhe chamavam Neustã.”

 

 

Recentemente, arqueólogos da Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA, na sigla em inglês) encontraram artefatos que comprovam a narrativa bíblica acima.

 

Durante as escavações, que aconteceram no Parque Nacional Tel Lachish, entre o Monte Hebrom e o Mar Mediterrâneo, de janeiro a março deste ano, os pesquisadores encontraram um “portão-santuário”, datado no século 8 a.C — o maior do período do Primeiro Templo já descoberto no país –.

 

"O tamanho da porta é consistente com o conhecimento histórico e arqueológico que possuímos. Lachish era uma grande cidade, uma das mais importantes depois de Jerusalém", disse Sa'ar Ganor, um dos responsáveis pela expedição.

 

De acordo com o especialista, a destruição dos ídolos ocorreu perto dos portões da cidade. Ali, idosos, governadores, reis e funcionários tinham o costume de se reunir. “Os bancos onde eles sentaram foram encontrados em nossas escavações”, garante ele.

 

 

Artefatos revelam detalhes

 

 

Segundo o diretor da escavação, as descobertas levaram os especialistas a "uma escada que fazia parte de uma grande sala, onde havia um banco sobre o qual as ofertas eram colocadas".

 

O grupo encontrou na sala dois altares de quatro chifres e dezenas de objetos de cerâmica, incluindo lâmpadas e tigelas. Para Ganor, tudo indica que os chifres no altar foram intencionalmente quebrados.

 

"Essa é uma evidência da reforma religiosa atribuída pelo rei Ezequias, onde o culto religioso foi centralizado em Jerusalém e os altares pagãos levantados fora da capital foram destruídos", explicou ele.

 

“Esta descoberta é um exemplo iluminado do verso que descreve o rei Ezequias, disse Zeev Elkin, ministro de Jerusalém e de Proteção do Patrimônio e do Meio Ambiente. “Diante dos nossos olhos, esses novos achados se transformam nos versos bíblicos e falam por voz própria”, acrescentou. 




Voltar




Tel. : (31) 3354-6794 - 992323907
secretaria.cbbtg@gmail.com



Copyright Grupo Alphanet Hosting @ 2019



  • Facebook
  • Twitter
  • Google +
  • Youtube