Noticias - FOCADOS NO RELACIONAMENTO. | Comunidade Batista do Balneário Templo da Graça


Compartilhe:
 

      Espiritual   •  Matérias

FOCADOS NO RELACIONAMENTO.


FOCADOS NO RELACIONAMENTO.

 

FOCADOS NO RELACIONAMENTO. Por. Natanael Rodrigues – servo de Jesus Cristo e vosso.

Temos vivido uma vida cristã muito rasa, quase sempre nossos encontros semanais são sustentados por uma necessidade ou fé para viver um milagre.

Tenho recebido no meu espirito um chamado ao relacionamento, o que vai muito além de encontros de fé que tem como foco uma experiência de milagres ou algo semelhante para o desfrute da presença do santo dos santos, nosso Senhor Jesus Cristo.

Hoje vamos passear por duas histórias bíblicas para exemplificar isso e trazer à nossa realidade de cristãos uma nova perspectiva de culto, isto é, um encontro com base no relacionamento com a face e não apenas com as mãos.

Lc.7.1- 10 – 1/Tendo terminado de dizer tudo isso ao povo, Jesus entrou em Cafarnaum. 2/Ali estava o servo de um centurião, doente e quase à morte, a quem seu senhor estimava muito. 3/Ele ouviu falar de Jesus e enviou-lhe alguns líderes religiosos dos judeus, pedindo-lhe que fosse curar o seu servo. 4/Chegando-se a Jesus, suplicaram-lhe com insistência: “Este homem merece que lhe faças isso, 5/porque ama a nossa nação e construiu a nossa sinagoga”. 6/Jesus foi com eles. Já estava perto da casa quando o centurião mandou amigos dizerem a Jesus: “Senhor, não te incomodes, pois não mereço receber-te debaixo do meu teto. 7/Por isso, nem me considerei digno de ir ao teu encontro. Mas dize uma palavra, e o meu servo será curado. 8/Pois eu também sou homem sujeito a autoridade e com soldados sob o meu comando. Digo a um: Vá, e ele vai; e a outro: Venha, e ele vem. Digo a meu servo: Faça isto, e ele faz”.9/Ao ouvir isso, Jesus admirou-se dele e, voltando-se para a multidão que o seguia, disse: “Eu digo que nem em Israel encontrei tamanha fé”. 10/Então os homens que haviam sido enviados voltaram para casa e encontraram o servo restabelecido.

Observações:

No que se baseou a procura do Centurião por Jesus? Uma necessidade, a cura do seu servo.

Vs.3 – Ele ouviu falar de Jesus e enviou-lhe alguns líderes religiosos dos judeus, pedindo-lhe que fosse curar o seu servo.

Sua distância de Jesus se deu na visão de não merecimento – ele não se achava digno.

Vs. 6,7 - 6/Jesus foi com eles. Já estava perto da casa quando o centurião mandou amigos dizerem a Jesus: “Senhor, não te incomodes, pois não mereço receber-te debaixo do meu teto. 7/Por isso, nem me considerei digno de ir ao teu encontro. Mas dize uma palavra, e o meu servo será curado.

Todas as vezes que entramos pelo caminho do merecimento nosso encontro se dará apenas no campo da fé e não na intimidade.

O que me faz intimo é a visão da justiça por meio de Cristo e não pelas minhas obras.

Sua fé foi elogiada e é digna de observação.

Vs.9 - “Eu digo que nem em Israel encontrei tamanha fé”.

Viver pela fé apenas para viver milagres pode até gerar elogios e resultados tais como cura, milagres, respostas positivas, etc., mas jamais intimidade.

O centurião perdeu a oportunidade da intimidade com Jesus.

Vs.6,7a – 6/ Jesus foi com eles. Já estava perto da casa quando o centurião mandou amigos dizerem a Jesus: “Senhor, não te incomodes, pois não mereço receber-te debaixo do meu teto. 7/Por isso, nem me considerei digno de ir ao teu encontro...

O centurião apenas experimentou o poder de cura na vida do seu servo e nada mais.

Vs.10 - Então os homens que haviam sido enviados voltaram para casa e encontraram o servo restabelecido.

Jesus queria estar com ele, inclusive já estava na direção de sua casa, mas foi privado pela escolha não tão acertada do centurião.

Precisamos ter cuidado para não nos privar da intimidade com o Senhor privando-o na nossa errada maneira de pensar pela justiça própria.

Lc.19.1-10 – 1/Jesus entrou em Jericó e atravessava a cidade. 2/Havia ali um homem rico chamado Zaqueu, chefe dos publicanos. 3/Ele queria ver quem era Jesus, mas, sendo de pequena estatura, não o conseguia, por causa da multidão. 4/Assim, correu adiante e subiu numa figueira brava para vê-lo, pois Jesus ia passar por ali.5/Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e lhe disse: “Zaqueu, desça depressa. Quero ficar em sua casa hoje”. 6/Então ele desceu rapidamente e o recebeu com alegria.7/Todo o povo viu isso e começou a se queixar: “Ele se hospedou na casa de um pecador”.8/Mas Zaqueu levantou-se e disse ao Senhor: “Olha, Senhor! Estou dando a metade dos meus bens aos pobres; e se de alguém extorqui alguma coisa, devolverei quatro vezes mais”.9/Jesus lhe disse: “Hoje houve salvação nesta casa! Porque este homem também é filho de Abraão. 10/Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido”.

No que se baseou a procura do de Zaquel por Jesus? Uma necessidade, vê-lo.

Vs.3 - Ele queria ver quem era Jesus, mas, sendo de pequena estatura, não o conseguia, por causa da multidão.

A postura de Zaquel revela exatamente o oposto do Centurião. Quando informado do desejo de Jesus entrar em sua casa ele desce depressa.

Vs.5 - Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e lhe disse: “Zaqueu, desça depressa. Quero ficar em sua casa hoje”. 6/Então ele desceu rapidamente e o recebeu com alegria.

Zaquel não ficou pensando em justiça própria ou sua indignidade, receber Jesus na intimidade de sua casa era um presente para aquele dia.

Os religiosos vão questionar a postura de Jesus e a ousadia de Zaquel, mas quem decide pela intimidade vive o favor de Deus.

Vs.7 - Todo o povo viu isso e começou a se queixar: “Ele se hospedou na casa de um pecador”.

Posso ser um pecador e ainda assim ser íntimo? Isso pira a cabeça dos religiosos.

Todos somos pecadores e necessitados estamos da graça de Deus, logo ter Jesus conosco é uma questão de fé e não de obras.

Vs.10 - Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido”.

A intimidade gera transformação.

Vs.8 - 8/Mas Zaqueu levantou-se e disse ao Senhor: “Olha, Senhor! Estou dando a metade dos meus bens aos pobres; e se de alguém extorqui alguma coisa, devolverei quatro vezes mais”.

Quanto mais íntimos mais quebrantados, vivendo no temor do Senhor e constrangidos pelo seu amor.

A graça não sugere uma vida de pecados mais de santidade pela presença continua do Senhor na nossa casa e vida.

Quanto mais íntimos mais convictos da nossa realidade de salvos e benditos do Senhor.

Vs.9 - 9/Jesus lhe disse: “Hoje houve salvação nesta casa! Porque este homem também é filho de Abraão.

Salvação e status de bendito foi confirmado por Jesus na intimidade de sua casa.

Diferente do Centurião, Zaquel desfrutou da presença de Jesus na sua casa, viveu momentos de intimidade, transformação e suas necessidades foram supridas apenas como consequência disso.

Qual tem sido nossa motivação para os encontros semanais/cultos?

Nossos cultos têm qual base sustentadora? O desejo pela intimidade, comunhão, adoração, valorização da presença ou uma necessidade, um milagre, uma solução, algo que precise?

Mt.18.20 - Pois onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles”.

Jesus tem estado no nosso meio e o que temos valorizado, sua presença ou suas mãos?

Sl.27.4 - Uma coisa pedi ao Senhor e a procuro: que eu possa viver na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a bondade do Senhor e buscar sua orientação no seu templo.

O salmista faz questão de dizer a sua motivação em estar na casa do Senhor – contemplar a sua face...

ENFIM:

Valorize relacionamentos e a intimidade, busque a face do Senhor e apenas as suas mãos, todas as suas necessidades serão supridas, isso é uma consequência, não o fim.

 

 




Voltar




Tel. : (31) 3354-6794 - 992323907
secretaria.cbbtg@gmail.com



Copyright Grupo Alphanet Hosting @ 2019



  • Facebook
  • Twitter
  • Google +
  • Youtube